Discurso em homenagem ao Deputado Bernardo Carli

  

Senhor Presidente e Sr.s Deputados, todos nós aqui perdemos a conta de quantos discursos já fizemos nesta Casa. Luiz Fernando, estou aqui há 28 anos e este é o discurso que não gostaria de fazer nunca. Sempre escutamos, nós, Luiz, que pintamos já o nosso cabelo de branco, sempre ouvimos: Puxa, o teu filho é muito melhor do que você. E às vezes algumas pessoas pensam que isso é uma ofensa ou coisa parecida. Nada. É uma alegria, porque a razão de nossa vida são os nossos filhos. Então, Luiz Fernando e Ana Rita, a amizade que sempre aconteceu entre as nossas famílias se estendeu ao Nando, que foi um companheiro extraordinário nesta Casa, que tenho um carinho muito grande por ele e ele sabe disso, tanto que nos comunicamos por telefone constantemente, pela amizade que tanto o Nando como o Bernardo têm diretamente com os meus filhos. O Bernardo, o fruto não caiu longe do pé, de jeito nenhum, Luiz Fernando. O Bernardo, brincávamos muitas vezes com ele, eu dizia: Bernardo, você tomou chá em colherinha de prata, por isso tem a educação que tem. E ele ria e dizia: Lógico, Lorde, você sabe muito bem o que é isso. Então, Luiz, tenho certeza de que o Bernardo está aqui em algum canto desta sala agradecendo a todos, porque nenhum, nenhum, digo aqui em nome dos 54 Deputados, Anibelli, nenhum Deputado aqui tinha ou teve um se não, independente de coloração partidária, com o Bernardo. Nós temos aqui constantemente algumas pessoas: mas este é um carne de pescoço, este é um chato... Nada! Nunca, ninguém disse um “a” do Bernardo, porque ele sabia como cativar e ter amor dentro do coração. Tratava todos igual. E de uma coisa não vou me esquecer, Luiz Fernando. Na segunda-feira fechou a Assembleia, vim cedo aqui na terça-feira e quando entrei no elevador, pois o gabinete do Bernardo é um acima do meu, não sei o nome dela, é até uma falha minha, mas a ascensorista que nos leva se abraçou comigo e nós dois choramos como crianças. Não demos uma palavra, ela me deixou no sétimo e desci. Isso é a prova inconteste de quem só plantou amor em toda a sua vida e por onde passou. Por isso, Ana Rita, Plauto, Luiz Fernando, levem ao Nando também, vocês terão, sim, todas as forças do mundo para passar por mais essa dificuldade. Porque fugiu à ordem natural das coisas. O certo seria eles nos enterrarem e não nós os enterrarmos. Por essa razão, Luiz Fernando, você e a Ana Rita, que são religiosos, não só na palavra, mas na prática, terão sim a coragem de enfrentar, e forças para enfrentar aquilo que nunca mereceram, porque ninguém merece passar por tamanho desatino. Então, Luiz, eu fiz questão, porque todos nós aqui sabemos o que representa o Bernardo para nós, o que representou o Bernardo para nós aqui nessa Casa, mas eu fiz questão de dirigir-me muito mais a você, Luiz, que é meu amigo de longa data, parceiros de Secretários de Governo e de Assembleia, porque eu tenho noção da dor que você passa nesse momento, e nesta hora, eu sempre disse isso, só a família e os verdadeiros amigos é que vão dar o conforto a vocês. E olha, com a vida que o Bernardo levou, pode ter certeza Luiz, o número de amigos de vocês aumentou e muito. Deus que nos ilumine para que nós não esqueçamos jamais de um menino que passou por aqui e que só fez amigos e que nós, mais novos ou mais velhos, possamos seguir o seu exemplo. Bernardo, pare de dar risada de nós que estamos aqui chorando por você, você, com esse teu sorriso, encantou e nós nunca vamos esquecer de você aqui nesta Casa. Vai com Deus querido.

 

01/01/1970 00:33
www.nelsonjustus.com.br