Breve Breve
Curitiba
Irati
São José dos Pinhais
Guaratuba
Foz do Iguaçu
Imbituva
Matinhos
Terra Roxa
Piraquara
Piraí do Sul
Iporã
Araucária
São Pedro do Ivaí
Prudentópolis
Lapa
Antonina
Morretes
Fazenda Rio Grande
Colombo
Bocaiúva do Sul
Contenda
Jandaia do Sul
Kaloré
Ortigueira
Paranaguá
Guaraqueçaba
Cascavel
São Mateus do Sul
Apucarana
Pitanga
 
 
  Cadastre seu e-mail e receba notícias do Deputado
 

Mais Buscadas

Notícias
Imprimir Enviar Contato
Proibição do amianto domina os debates durante reunião da CCJ

 Três propostas concentraram boa parte dos debates da Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa na tarde desta terça-feira (28): o projeto de lei  655/2015, de autoria dos deputados Gilberto Ribeiro (PRB) e Pastor Edson Praczyk (PRB), proibindo o uso do amianto na fabricação de produtos e artefatos; e duas emendas apresentadas pelos deputados Paranhos (PSC) e Tercílio Turini (PPS) ao projeto de leicomplementar nº 2/2015, de autoria do deputado licenciado Douglas Fabrício (PPS), que submete à aprovação prévia do Poder Legislativo a formalização de termos aditivos aos contratos de concessão de serviços – como os contratos de pedágio – bem como a prorrogação destes contratos. A este texto está anexado outro, que também disciplina o tema, assinado pelo deputado Tercílio Turini.

No caso da proibição do amianto, o relator, deputado Gilson de Souza (PSC), apresentou substitutivo ampliando o prazo de 120 dias inicialmente concedidos à adequação das empresas. Elas passariam a ter prazo até junho de 2017 para reduzir a utilização do amianto em 25%; até 30 de junho de 2018 para estender a redução a 50%; e até 31 de dezembro de 2018 para abolirem completamente seu uso. Desta forma, o relator procurou afastar a ameaça de fechamento de indústrias, que trouxe cerca de 60 trabalhadores à Assembleia para acompanhar a tramitação da proposta. Apesar disso, a votação foi adiada para atender pedidos de vista formulados pelos deputados Felipe Francischini (SD), Bernardo Carli (PSDB) e Luiz Claudio Romanelli (PSB).

No caso dos contratos de pedágio e outras concessões, a subemenda apresentada pelo deputado Romanelli, aglutinando as duas emendas de caráter idêntico num dispositivo único e adequando-o às exigências constitucionais, motivou pedido de vista do deputado Francischini. Como as duas matérias tramitam em regime de urgência, o presidente da CCJ, deputado Nelson Justus (DEM), convocou reunião extraordinária para as 13h30 desta quarta-feira (29), no Auditório Legislativo da Casa.

Voto de minerva – Numa situação regimentalmente prevista, porém incomum na comissão, o presidente exerceu o poder de votar para resolver um empate. Isso ocorreu durante a votação do projeto de lei nº 880/2015, de autoria do deputado Mauro Moraes (PSDB), instituindo o Dia do Policial Militar. O voto de Justus foi contrário à proposição. Desta forma, foi designado novo relator, Pedro Lupion (DEM), para substituir o original, deputado Tiago Amaral (PSB), que havia dado parecer favorável ao texto.

Entre as propostas também aprovadas estão o projeto de lei nº 294/2016, do Poder Executivo, autorizando a Companhia de Desenvolvimento Agropecuário do Paraná – CODAPAR – a alienar, por venda mediante processo licitatório, vários bens imóveis localizados principalmente na região dos Campos Gerais; o projeto de lei nº 169/2015, de autoria do deputado Romanelli, obrigando os estabelecimentos bancários e financeiros a proverem a segurança de seus caixas eletrônicos, bancos 24 horas e outros equipamentos assemelhados, com dispositivos de entintamento de cédulas; e o projeto de lei nº 138/2016, assinado pela deputada Claudia Pereira (PSC), obrigando a afixação de cartazes em hospitais, casas de saúde e clínicas conveniadas com o SUS informando sobre a vedação de cobrança de procedimentos.

Entre as proposições rejeitadas estão o projeto de lei nº 777/2015, do deputado Elio Rusch (DEM), instituindo o “Depoimento sem dano” para crianças vítimas de abuso sexual ou violência; e o projeto de lei nº 916/2015, do deputado Marcio Pacheco (PPL), obrigando a divulgação, no site oficial de centros de controle de zoonoses, canis, abrigos de animais e estabelecimentos do gênero, de foto de animais resgatados e mantidos em suas dependências.

Fonte: Assessoria de Imprensa Alep.

Fotos: Pedro de Oliveira - Alep. 

28/06/2016
« Notícia anterior
Deixe sua opinião
 
Nome:
E-mail:
Opinião:
 
 
Mais Notícias CCJ
 
24/08/2016
-
CCJ aprova subdivisão de projeto do Executivo que trata do Processo Ad
23/08/2016
-
Fatiamento do projeto de gestão administrativa e tributária do Estado
16/08/2016
-
CCJ adia votação de projeto que dá continuidade a ajuste fiscal do Pod
10/08/2016
-
CCJ aprova emenda a projeto que define normas para licitações, contrat
02/08/2016
-
CCJ aprova projeto que regulamenta criação e funcionamento de Frentes
20/07/2016
-
Balanço da CCJ fecha com 299 proposições discutidas e votadas ao longo
19/07/2016
-
CCJ aprova emenda a projeto que institui o "Alerta Amber" no Paraná
13/07/2016
-
CCJ aprova criação de cargos em comissão para o Centro Cultural Teatro
12/07/2016
-
CCJ faz sessão extraordinária nesta quarta-feira (13) para votar proje
05/07/2016
-
Após duas semanas de debates CCJ rejeita projeto proibindo o uso do am