Breve Breve
Curitiba
Irati
São José dos Pinhais
Guaratuba
Foz do Iguaçu
Imbituva
Matinhos
Terra Roxa
Piraquara
Piraí do Sul
Iporã
Araucária
São Pedro do Ivaí
Prudentópolis
Lapa
Antonina
Morretes
Fazenda Rio Grande
Colombo
Bocaiúva do Sul
Contenda
Jandaia do Sul
Kaloré
Ortigueira
Paranaguá
Guaraqueçaba
Cascavel
São Mateus do Sul
Apucarana
Pitanga
 
 
  Cadastre seu e-mail e receba notícias do Deputado
 

Mais Buscadas

Notícias
Imprimir Enviar Contato
CCJ aprova emenda a projeto que submete prorrogação de contratos de pedágio à aprovação do Legislativo

 Com apenas duas matérias – ambas em regime de urgência – na pauta da sessão extraordinária convocada para o início da tarde desta quarta-feira (29), a Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativavotou e aprovou uma delas, a que trata das emendas de Plenário ao projeto de lei complementar nº 2/2015, de autoria do deputado licenciado Douglas Fabrício (PPS), submetendo à aprovação prévia do Poder Legislativo a formalização de termos aditivos aos contratos de concessão de serviços públicos, como é o caso dos contratos de pedágio, bem como a prorrogação desses contratos.

As emendas, assinadas pelos deputados Leonaldo Paranhos (PSC) e Tercílio Turini (PPS), tinham recebido parecer favorável do relator, deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB), na forma de uma subemenda reunindo pontos dos dois textos. O deputado Felipe Francischini (SD) pediu vista e na sessão desta quarta-feira apresentou voto em separado, na forma de uma nova subemenda, acolhendo o quórum de maioria simples para a votação de eventual prorrogação dos contratos. Emenda do deputado Turini previa quórum de maioria absoluta para essa votação. Por seis votos a cinco – com a abstenção da deputada Claudia Pereira (PSC) – a comissão aprovou o voto em separado de Francischini.

 O projeto de lei nº 655/2015, de autoria dos deputados Gilberto Ribeiro (PRB) e Pastor Edson Praczyk (PRB), proibindo a fabricação de produtos, materiais e artefatos contendo quaisquer tipos de amianto ou asbesto ou outros minerais que, acidentalmente, tenham fibras de amianto em sua composição, não chegou a ser votado porque as discussões se estenderam até o início da sessão plenária, levando o presidente da CCJ, deputado Nelson Justus (DEM), a suspender os trabalhos.

A proposta tem parecer favorável do relator, deputado Gilson de Souza (PSC), que estabeleceu prazos dilatados até 2018 para as empresas banirem totalmente o amianto de seus produtos. Esses prazos, aliás, levam em conta os estabelecidos em Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado pelas empresas com o Ministério Público. Também neste caso o deputado Francischini apresentou voto em separado, alegando que a iniciativa para legislar sobre o tema seria privativa da União. De qualquer maneira, o tema volta à análise da comissão na próxima terça-feira (5), às 13h30, quando acontece sua sessão ordinária.

Fonte: Assessoria de Imprensa Alep.

Fotos; Pedro de Oliveira - Alep. 

29/06/2016
« Notícia anterior
Deixe sua opinião
 
Nome:
E-mail:
Opinião:
 
 
Mais Notícias CCJ
 
24/08/2016
-
CCJ aprova subdivisão de projeto do Executivo que trata do Processo Ad
23/08/2016
-
Fatiamento do projeto de gestão administrativa e tributária do Estado
16/08/2016
-
CCJ adia votação de projeto que dá continuidade a ajuste fiscal do Pod
10/08/2016
-
CCJ aprova emenda a projeto que define normas para licitações, contrat
02/08/2016
-
CCJ aprova projeto que regulamenta criação e funcionamento de Frentes
20/07/2016
-
Balanço da CCJ fecha com 299 proposições discutidas e votadas ao longo
19/07/2016
-
CCJ aprova emenda a projeto que institui o "Alerta Amber" no Paraná
13/07/2016
-
CCJ aprova criação de cargos em comissão para o Centro Cultural Teatro
12/07/2016
-
CCJ faz sessão extraordinária nesta quarta-feira (13) para votar proje
05/07/2016
-
Após duas semanas de debates CCJ rejeita projeto proibindo o uso do am