Breve Breve
Curitiba
Irati
São José dos Pinhais
Guaratuba
Foz do Iguaçu
Imbituva
Matinhos
Terra Roxa
Piraquara
Piraí do Sul
Iporã
Araucária
São Pedro do Ivaí
Prudentópolis
Lapa
Antonina
Morretes
Fazenda Rio Grande
Colombo
Bocaiúva do Sul
Contenda
Jandaia do Sul
Kaloré
Ortigueira
Paranaguá
Guaraqueçaba
Cascavel
São Mateus do Sul
Apucarana
Pitanga
 
 
  Cadastre seu e-mail e receba notícias do Deputado
 

Mais Buscadas

Notícias
Imprimir Enviar Contato
Após duas semanas de debates CCJ rejeita projeto proibindo o uso do amianto

 

Após duas semanas de intenso debate acompanhado diretamente por grupos de trabalhadores do setor, a Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa do Paraná decidiu rejeitar na sessão desta terça-feira (5) o projeto de lei nº 655/2015, de autoria dos deputados Gilberto Ribeiro (PRB) e Pastor Edson Praczyk (PRB), proibindo a fabricação de produtos, materiais e artefatos que contenham quaisquer tipos de amianto ou asbesto ou outros minerais que, acidentalmente, apresentem fibras de amianto na sua composição.

A matéria tinha parecer favorável do relator, deputado Gilson de Souza (PSC), que tentou aperfeiçoá-la estabelecendo prazos mais flexíveis para que as empresas se adequassem à nova regra, bem como para a comercialização do produto em território paranaense, que se tornaria proibido a partir de 2019. O deputado Felipe Francischini (SD), que havia pedido vista do parecer, apresentou voto em separado argumentando a inconstitucionalidade do texto. Seu voto acabou aprovado pela estreita margem de seis a cinco, encerrando a tramitação do projeto.

Reorganização – O projeto de lei nº 322/2016, de autoria do Poder Executivo, alterando a Lei nº 8.485/1987, que define a reorganização da estrutura básica do Poder Executivo no Sistema de Administração Pública estadual, recebeu parecer favorável do relator, deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB), mas teve a votação adiada para atender pedido de vista do deputado Nereu Moura (PMDB). O texto remaneja atividades da Casa Civil e da Secretaria de Estado do Planejamento e Coordenação Geral.

Pedidos de vista adiaram a votação de mais quatro proposições, entre elas o projeto de lei 716/2015, assinado pelo deputado Requião Filho (PMDB), assegurando, incentivando e regulamentando o direito à manifestação  e à participação política da sociedade civil, estabelecendo objetivos, princípios e limitações à atuação do poder público; e o projeto de lei nº 836/2015, de autoria do deputado Hussein Bakri (PSD), permitindo a visitação de animais domésticos e de estimação em hospitais privados, públicos, contratados, conveniados e cadastrados no Sistema Único de Saúde.

Entre as propostas aprovadas na sessão estão a emenda da Comissão de Ecologia e Meio Ambiente ao projeto de lei nº 378/2015, do deputado Ademar Traiano (PSDB), instituindo benefícios para incentivar o aproveitamento de energia elétrica produzida por microgeradores e minigeradores; o projeto de lei nº 755/2015, do deputado Nereu Moura, determinando a informação do consumidor quanto ao fim dos prazos dos descontos ou vantagens temporárias oferecidos pelos prestadores de serviços; e o projeto de lei nº 235/2016, assinado pelo deputado Dr. Batista (PMN), instituindo a Semana Educativa da Nutrição Infantil no período compreendido entre 6 e 12 de outubro.

Entre as proposições rejeitadas estão o projeto de lei nº 164/2016, do deputado Adelino Ribeiro (PSL), determinando a colocação de placas em hospitais, unidades de saúde e laboratórios contendo a identificação de seus funcionários responsáveis; o projeto de lei nº 104/2015, do deputado Ney Leprevost (PSD), proibindo a venda de bebidas contrabandeadas e/ou falsificadas; e o projeto de lei nº 941/2015, do deputado Alexandre Guimarães (PSD), criando o cadastro para bloqueio de recebimento de ligações de telemarketing.

O projeto de lei nº 899/2015, de autoria do deputado Marcio Pacheco (PPL), obrigando a emissão de certificados de origem dos animais e de nota fiscal, no ato da venda, pelos estabelecimentos comerciais e criadores regulamentados foi baixado em diligência à ADAPAR, assim como foi baixado em diligência para a Polícia Militar o projeto de lei nº 880/2015, de autoria do deputado Mauro Moraes (PSDB), instituindo o Dia do Policial Militar.

A proposição de veto nº 21/2016 aposta pelo Executivo ao projeto de lei nº 210/2015, de autoria da deputada Claudia Pereira (PSC), determinando a comunicação, por parte dos hospitais, clínicas e postos de saúde que integram a rede pública e privada de saúde, da ocorrência com indícios de maus tratos a idosos, foi aprovada pela CCJ na sessão desta terça-feira.

Fonte: Assessoria de Imprensa Alep.

Fotos: Pedro de Oliveira - Alep. 

05/07/2016
« Notícia anterior
Deixe sua opinião
 
Nome:
E-mail:
Opinião:
 
 
Mais Notícias CCJ
 
24/08/2016
-
CCJ aprova subdivisão de projeto do Executivo que trata do Processo Ad
23/08/2016
-
Fatiamento do projeto de gestão administrativa e tributária do Estado
16/08/2016
-
CCJ adia votação de projeto que dá continuidade a ajuste fiscal do Pod
10/08/2016
-
CCJ aprova emenda a projeto que define normas para licitações, contrat
02/08/2016
-
CCJ aprova projeto que regulamenta criação e funcionamento de Frentes
20/07/2016
-
Balanço da CCJ fecha com 299 proposições discutidas e votadas ao longo
19/07/2016
-
CCJ aprova emenda a projeto que institui o "Alerta Amber" no Paraná
13/07/2016
-
CCJ aprova criação de cargos em comissão para o Centro Cultural Teatro
12/07/2016
-
CCJ faz sessão extraordinária nesta quarta-feira (13) para votar proje
05/07/2016
-
Após duas semanas de debates CCJ rejeita projeto proibindo o uso do am